Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Sinfonietta de Ponta Delgada e António Rosado Teatro Micaelense - Açores 9 Rádio


No comando: Auto DJ

Das 00:00 às 07:00

No comando: Programa da Manhã

Das 07:00 às 12:00

No comando: Motores 9

Das 12:00 às 18:00

No comando: Programa da tarde

Das 12:00 às 18:00

No comando: Programa da Noite

Das 18:00 às 00:00

Sinfonietta de Ponta Delgada e António Rosado Teatro Micaelense

Começa em: 15/02/2020 Termina em: 15/02/2020

A Sinfonietta de Ponta Delgada apresenta-se com um cartaz de excelência, que faz juntar à orquestra um dos maiores pianistas portugueses da atualidade. António Rosado traz ao Teatro Micaelense o monumental Segundo Concerto para Piano e Orquestra de Sergei Rachmaninoff, talvez a mais celebrada página escrita pelo compositor russo, com repercussões nas mais variadas expressões artísticas.

Esta obra foi composta entre 1900 e 1901, no rescaldo de um período imensamente conturbado na vida do compositor, e estreada pelo próprio. Rachmaninoffera um pianista virtuosíssimo eo piano sempre foi o seu instrumento predileto, tanto que, segundo reza a lenda, este era capaz de executar determinadas passagens de um modo que mais ninguém conseguia. No entanto, ao escutar esta obra para piano solista, compreende-se que o tratamento musical não favorece exclusivamente o piano, mas promove um diálogo muito completo entre este e a orquestra, conferindo também ao tuttimuitos momentos de destaque.

Sobre António Rosado, disse a revista francesa Diapason que é um “…intérprete que domina o que faz. Tem tanto de emoção e de poesia, como de cor e de bom gosto.” António Rosado tem uma carreira reconhecida nacional e internacionalmente, corolário do seu talento e do gosto pela diversidade, expressos num extenso repertório pianístico. Estudou no Conservatório Nacional de Música de Lisboa, partindo aos dezasseis anos para Paris onde foi discípulo de Aldo Ciccolini no Conservatório Superior de Música e nos Cursos de Aperfeiçoamento em Siena e Biella. Já se apresentou a solo inúmeras vezes com orquestras nacionais e internacionais, e a sua discografia contempla obras marcantes do repertório para piano solo e de música de câmara. Laureado pela Academia Internacional Maurice Ravel e pela Academia Internacional Perosi, pelo Concurso Internacional Vianna da Motta e pelo Concurso Internacional Alfredo Casella de Nápoles. Em 2007 foi distinguido pelo Governo Francês com o grau de ChevalierdesArtsetdesLettres.

Ao pós-romantismo nostálgico e passional do Segundo Concerto para Piano e Orquestra de Rachmaninoff, juntar-se-á a linguagem romântica oitocentista de Robert Schumann e da sua Terceira Sinfonia, intitulada de Renana, uma poética leitura das paisagens alemãs a partir das margens do Reno.Das quatro sinfonias que Schumann escreveu, provavelmente esta ocupará o lugar daquela que é menos tocada e menos conhecida. Porém, a noção de que é inferior às demais será, no mínimo, errónea. Escrita na luminosa tonalidade de Mi bemol maior, esta começa como uma afirmação que afasta qualquer rasgo de dúvida. O compositor apresenta-nos de imediato o tema em forte e num carácter heroico e triunfal, dispensando qualquer género de introdução ou prólogo, tema este que irá dominar o primeiro dos cinco andamentos que a compõe.

Jean-Sébastien Béreau terá a seu cargo a direção musical do concerto. O Maestro Convidado Principal da Sinfonietta de Ponta Delgada retorna ao palco do Teatro Micaelense, pela quarta vez, para mais uma magnífica rendição a duas das obras que foram transformando a música ao longo dos tempos. Também ele recipiente de inúmeras condecorações francesas, como a “OrdreduMérite, Béreau foi, durante quinze anos, professor de Direção de Orquestra e responsável pelas três orquestras do Conservatório Nacional Superior de Música de Paris, tendo colaborado com Pierre Boulez e Leonard Bernstein, entre outros vultos de elevado prestígio musical do século XX.

Este evento, uma produção da Quadrivium – Associação Artística, conta com o apoio institucional da República Portuguesa – Cultura/Direção-Geral das Artes, da Direção Regional da Cultura dos Açores e da Câmara Municipal de Ponta Delgada. Terá lugar no Teatro Micaelense, no próximo dia 15 de fevereiro de 2020, pelas 21:30.

Hora que começa: 21:30 Hora que termina: 24:00

Localização: Teatro Micaelense

Deixe seu comentário: