Governo Regional privilegiou estágios em empresas para responder à falta de mão de obra

Escrito por em 17/09/2022

O deputado do PSD/Açores Flávio Soares disse hoje que o executivo açoriano (PSD/CDS-PP/PPM) privilegiou os estágios em empresas privadas, devido à falta de mão de obra, acusando o PS de críticas “infundadas”.

“O Governo Regional dos Açores privilegiou os estágios nas entidades de natureza privada, empresas, cooperativas e entidades sem fins lucrativos, promovendo e incentivando o recrutamento e a integração dos jovens nos quadros das empresas”, afirmou o deputado social-democrata, citado numa nota de imprensa.

Na quinta-feira, o grupo parlamentar do PS questionou o Governo Regional, num requerimento entregue na Assembleia Legislativa dos Açores, sobre a previsão de abertura de candidaturas aos programas de estágios Estagiar L e T na administração pública.

“O grupo parlamentar do PS Açores tem recebido reclamações de jovens em condições de integrar os programas Estagiar, que não conseguem aceder, porque simplesmente, não estão abertas as candidaturas para estes organismos”, avançou a deputada socialista Marta Matos, citada numa nota de imprensa.

Em causa estão as candidaturas aos programas Estagiar L (destinado a jovens recém-diplomados no ensino superior) e Estagiar T (destinado a jovens recém-diplomados em cursos de qualificação profissional) na administração pública central, regional e local.

As candidaturas a estes dois programas decorrem entre 01 de agosto e 01 de março, mas no caso dos estágios em entidades da administração pública central, regional e local, a fase de candidaturas é determinada por despacho do membro do Governo Regional com competência em matéria de Emprego.

Flávio Soares alegou hoje que o executivo açoriano privilegiou os estágios em entidades privadas, para ir ao encontro das necessidades do tecido empresarial.

“O ano 2022 fica marcado pelo aumento do emprego na região, existindo inclusivamente empresários que têm manifestado publicamente dificuldades de recrutamento, ou até mesmo, falta de mão de obra em determinados setores de atividade”, explicou.

O deputado social-democrata salientou que, ao contrário da administração pública, os privados “têm a obrigação de contratar 50% dos jovens que realizaram estágio”.

“Só desta forma é possível promover a produtividade e o crescimento económico da região e simultaneamente incentivar a integração dos jovens no mercado de trabalho”, defendeu.

Flávio Soares considerou que “as críticas do PS à reformulação do programa Estagiar são infundadas”, alegando que os Açores têm hoje mais 2.500 jovens empregados do que no último ano da governação socialista (2020).

“A melhoria do programa Estagiar levada a cabo pelo Governo Regional, no seguimento de uma iniciativa legislativa do PSD/Açores, está a revelar-se muito importante para criar mais emprego. Os números oficiais, relativos ao segundo trimestre de 2022, são indesmentíveis: cerca de 35.800 jovens açorianos até aos 34 anos estão empregados, mais 2.500 em relação ao último ano da governação do Partido Socialista”, afirmou.


Açores 9 Rádio

Faixa Atual

Título

Artista