Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Mais de 1.500 pessoas em vigilância ativa nos Açores, 23 casos suspeitos e 3 positivos - Açores 9 Rádio


No comando: Auto DJ

Das 00:00 às 07:00

No comando: Programa da Manhã

Das 07:00 às 12:00

Mais de 1.500 pessoas em vigilância ativa nos Açores, 23 casos suspeitos e 3 positivos

Os Açores mantêm três casos de infeção pelo novo coronavírus, mas o número de pessoas em vigilância ativa mais do que duplicou, para 1.561, nas últimas 24 horas, revelou hoje a Autoridade de Saúde Regional.

“Não é motivo de preocupação nós termos mais de 1.500 pessoas em vigilância ativa, é um indicador de como estamos a tentar apertar a malha o máximo possível, de maneira a tentar peneirar os casos que possam existir na região”, afirmou o responsável pela Autoridade de Saúde Regional, Tiago Lopes, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo.

Ao todo estão a ser acompanhadas pelas autoridades de saúde 1.561 pessoas nos Açores (mais 967 do que na quinta-feira).

Destas, 631 foram sinalizadas pela Linha de Saúde Açores (808 24 60 24), que agora é gratuita.

Os restantes foram reportados pelas delegações de saúde no âmbito do seu trabalho de campo, sendo a maioria (718) da ilha de São Miguel, 111 da ilha Terceira, 51 da ilha das Flores e 50 da ilha de São Jorge.

Desde o início do surto, os Açores já identificaram e analisaram 70 casos suspeitos de infeção pelo novo coronavírus.

“Estamos a pecar mais por excesso, a validar laboratorialmente mais por excesso do que por defeito”, salientou Tiago Lopes, alegando que as delegações de saúde identificam três linhas de contactos próximos dos casos suspeitos.

Os Açores têm atualmente três mulheres com a covid-19, internadas em situação “clinicamente estável”.

Os casos foram importados do exterior e as utentes eram residentes nas ilhas Terceira, São Jorge e Faial.

O responsável da Autoridade de Saúde Regional disse, no entanto, que é expectável que nos próximos dias surjam casos confirmados em São Miguel, a maior ilha do arquipélago.

“É expectável que na ilha de São Miguel também exista nos próximos dias eventualmente casos suspeitos e eventualmente casos positivos”, apontou, sublinhando que o Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada está já a adequar o seu nível de alerta e resposta.

Dos 23 casos suspeitos que ainda aguardam resultados de análises ou colheita de amostras a grande maioria é da ilha de São Miguel e os restantes de Terceira e São Jorge.

Os Açores têm apenas um laboratório a efetuar as análises ao novo coronavírus, na ilha Terceira, mas Tiago Lopes reafirmou que a unidade está a dar “cabal resposta” a todas as solicitações e tem material suficiente para “fazer milhares de análises”.

“As equipas das unidades de saúde quando fazem a recolha das amostras já sabem quais são os voos que estão disponíveis, de maneira a que as amostras cheguem [à ilha Terceira] em tempo útil”, afirmou, alegando que a restrição das ligações aéreas inter-ilhas não coloca entraves ao processo.

Além de terem sido suspensas as ligações aéreas e marítimas inter-ilhas e os voos da companhia aérea açoriana Azores Airlines para o exterior, serão também suspensas as ligações marítimo-turísticas.

Segundo Tiago Lopes, dos voos de fora da região que ainda se mantêm, que costumavam trazer mais de uma centena de passageiros, estão a desembarcar entre 20 a 30 pessoas.

“Isso tem sido bastante evidente nos últimos dias e penso que dia após dia vai ser cada vez mais diminuto”, afirmou.

Numa altura do mês em que os pensionistas se dirigem aos correios para levantar as suas pensões, o responsável pela Autoridade de Saúde Regional dos Açores deixou um apelo para que “respeitem e adequem o seu comportamento, mantendo o distanciamento social acima de um metro”, lembrando que são “uma faixa etária mais sensível e mais sujeita à aquisição da infeção“.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infetou mais de 265 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 11.100 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 90.500 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

O número de mortos no país subiu para seis.

 

Comunicado

À data de ontem, 19 de março, tínhamos 14 casos suspeitos de Covid-19 na Região Autónoma dos Açores.

Após resultados laboratoriais, 10 revelaram-se negativos, sendo dois provenientes da ilha Terceira, um da ilha de Santa Maria, um da ilha do Faial (diretamente relacionado com o 3º caso positivo) e 6 da ilha de São Miguel. Quatro casos, todos de São Miguel, aguardam ainda resultado.

Nas últimas 24 horas surgiram 24 casos suspeitos.

Cinco deles já se revelaram negativos após análise laboratorial.

Dentro dos restantes 19, três casos ainda aguardam resultados, 16 aguardam colheita. Destes 16, um é proveniente da ilha Terceira, um da ilha de São Jorge (diretamente relacionado com o 2º caso positivo), e 14 da ilha de São Miguel.

Existem atualmente, 20 de março, 23 casos suspeitos de infeção por Covid-19.

As Delegações de Saúde da Região estão neste momento a fazer 1561 vigilâncias ativas. Dentro deste número, 631 são sinalizações da Linha Saúde Açores e 930 são reportes feitos pelas Delegações de Saúde, no trabalho de campo que estão a realizar.

Destes 930, 50 são da ilha de São Jorge, 718 são da ilha de São Miguel, 111 da ilha Terceira e 51 da ilha das Flores.

Os três casos confirmados permanecem internados, dois no Hospital do Santo Espírito da Ilha Terceira e um no Hospital da Horta, pese embora este último aguarde ainda validação pelo Instituto de Saúde Ricardo Jorge. Estes três casos estão clinicamente estáveis.

Neste momento a aposta é na monitorização clínica, não existindo casos suspeitos em internamento, nem nas Unidades de Saúde de Ilha, nem em contexto hospitalar.

 

 

Deixe seu comentário: