Presidente do Governo dos Açores disponível para dialogar com deputado independente

Escrito por em 13/09/2022

O presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Boieiro, disse hoje estar disponível para dialogar com o deputado independente Carlos Furtado e manifestou disponibilidade para “corresponder às suas justas reivindicações” em termos de “atenção”.

“Eu sou um democrata que tem demonstrado na construção desta solução governativa dos Açores paciência democrática, diálogo, lealdade nos compromissos e estou convencido que o que é a justa reivindicação do deputado é ser ouvido, considerado e prestigiado”, afirmou.

José Manuel Bolieiro falava no Funchal, onde se encontra no âmbito da cimeira insular entre os governos regionais da Madeira e Açores, numa reação ao aviso do deputado independente Carlos Furtado (ex-Chega), que na segunda-feira revelou estar a ponderar a continuidade do apoio ao Governo açoriano (PSD/CDS-PP/PPM), acusando o PPM de “rasgar” o acordo parlamentar devido ao orçamento da Assembleia Regional.

Num comunicado, o deputado independente afirmou que o acordo de incidência parlamentar assinado com os partidos do executivo está “ferido de morte”, devido às críticas que recebeu do líder monárquico Paulo Estêvão durante a discussão do orçamento do parlamento açoriano.

Sem o apoio do deputado independente, o Governo dos Açores não tem a maioria na Assembleia Legislativa Regional.

Na Madeira, José Manuel Bolieiro afirmou não temer pela eventual queda do Governo Regional, adiantando que Carlos Furtado e todos os deputados que correspondem ao acordo de incidência parlamentar podem contar consigo para dialogar.

“A minha convicção é fazer bem o bem que tem de ser feito, numa governação estável e de sucesso, com política pública que sirva o nosso povo, que sirva o bem-estar das nossas populações e potencie o crescimento da nossa economia”, declarou.

“É esta a minha missão, não é a manutenção de poder”, reforçou.

O líder do executivo açoriano disse ainda estar disponível para “corresponder às justas reivindicações” dos deputados que assinaram os acordos de incidência parlamentar no que diga respeito à “atenção” e ao “diálogo”.

Na sexta-feira, o orçamento da Assembleia Legislativa foi aprovado durante o plenário com os votos favoráveis de todas as bancadas, à exceção de Carlos Furtado, que votou contra.

O independente reconhece que foi visado por “vários parlamentares”, mas considera que a “crítica mais estranha” foi a do “deputado eleito pela ilha do Corvo”, o líder do PPM, que o acusou de “populista e demagogo”.

O deputado, que foi eleito em outubro de 2020 pelo Chega, mas que se tornou independente em julho de 2021, realçou que “não tem sido dada a devida importância aos 2.960 eleitores” que o elegeram.

O Governo Regional depende do apoio dos partidos que integram o executivo, da IL, do Chega e do deputado independente.

A Assembleia Legislativa dos Açores é composta por 57 deputados e, na atual legislatura, 25 são do PS, 21 do PSD, três do CDS-PP, dois do PPM, dois do BE, um da Iniciativa Liberal, um do PAN, um do Chega e um deputado independente (eleito pelo Chega).


Açores 9 Rádio

Faixa Atual

Título

Artista